Como calcular o IGPM para imóveis financiados?

3 minutos para ler

Você sabe como é reajustada a parcela dos financiamentos imobiliários e aluguéis no Brasil? Existem diversos índices econômicos que usamos como referência para ajustar os preços, especialmente no mercado imobiliário. Para os consumidores, é especialmente importante saber como calcular o IGPM, para ficar atento se tudo está sendo feito de acordo com a legislação.

Infelizmente, é bem comum a falta de atenção dos compradores de imóveis nos detalhes contratuais. Isso porque, ao realizar um negócio, não fazem uso de assessoria jurídica especializada. Isso acaba repercutindo em contratos abusivos, utilização de índices de reajustes inadequados e outros problemas que poderiam ser evitados com o auxílio profissional.

Portanto, se você deseja compreender melhor os reajustes de parcelas do seu imóvel financiado e descobrir como se calcula o IGPM, continue lendo nosso artigo!

O que é IGPM?

A sigla significa Índice Geral de Preços do Mercado. Esse indicador foi criado para ser uma medida sobre a movimentação financeira nacional e engloba, como veremos, além das atividades de mercado, as distintas etapas do processo produtivo. Isso proporciona um panorama interessante e útil sobre a economia do país e ajuda na tomada de diversas decisões.

Ele é calculado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base em uma média ponderada de três outros índices: IPA, IPC e INCC. O IGPM tem diversas aplicações, como o reajuste de aluguéis, aumento da energia elétrica e, quando o imóvel é financiado diretamente com a construtora, das parcelas do contrato.

Como se calcula o IGPM?

Para se calcular o Índice Geral de Preços de Mercado faz-se uso de uma média ponderada com base nos Índice de Preços por Atacado, o Índice de Preços ao Consumidor e o Índice Nacional de Custo da Construção, que são indicadores importantes no mercado, desde às atividades agrícolas, industriais, serviços e produtos de varejo.

Para chegar ao IGPM, considera-se a seguinte proporção:

  • IPA (Índice de Preços por Atacado) com peso de 60% no IGPM;
  • IPC (Índice de Preços ao Consumidor) corresponde a 30%;
  • INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) é responsável por 10%.

Assim, na média desses indicadores, chega-se ao resultado do IGPM, divulgado a cada 30 dias pela FGV. É importante notar que nem sempre esse indicador é positivo, pois em 2016 chegou a ser negativo, o que fez os preços dos reajustes caírem. Em relação aos imóveis financiados, é utilizado mensalmente para calcular a parcela.

Quando se utiliza o IGPM?

Por via de regra, os contratos de financiamento feitos diretamente com as construtoras utilizam o IGPM como módulo de reajuste. Em comparação, os financiamentos feitos em instituições financeiras, em geral bancos como a Caixa Econômica, usam a Taxa Referencial, indicador disposto pelo Banco Central.

O uso desse índice leva em conta as flutuações do mercado. Por isso, o comprador precisa estar atento ao extrato de pagamento, para compreender bem no que está investindo seu dinheiro e saber como calcular o IGPM. Assim, por conta dessas e outras questões, é muito útil ter o acompanhamento de um advogado imobiliário.

Então, não perca seus direitos de vista. Para se manter atualizado, siga-nos em nossas redes sociais!

Posts relacionados

Um comentário em “Como calcular o IGPM para imóveis financiados?

  1. Boa noite.
    Tenho um financiamento direto com a construtora e em 2015 a parcela contratada era de R$866,00, hoje se encontra em R$1136,00. Como funciona o reajuste pelo igpm, é acumulativo?
    Pois as parcelas aumentam exponencialmente.
    Desde já agradeço.

Deixe um comentário

× WhatsApp