Como funciona a amortização do financiamento imobiliário?

4 minutos para ler

A compra de imóvel é um dos grandes sonhos da maioria dos brasileiros. No entanto, com os altos preços, se torna difícil fazer a aquisição à vista, o que leva muitos às instituições bancárias para pagar financiado. O que nem todos sabem é que é possível adiantar as parcelas e economizar bastante com a amortização do financiamento imobiliário.

Amortizar significa pagar o saldo devedor. Seja nas parcelas, adiantar com o FGTS, outro recurso a mais que apareceu ou um planejamento econômico para tanto. Agora, já pensou em adiantar as parcelas?

Pode-se pensar, à primeira vista, que não faz nenhuma diferença, apenas seria uma questão de pagar por menos tempo, mas não é bem assim. Na verdade, fazer a amortização pode gerar uma imensa diferença no valor final do imóvel.

Confira, na continuação do nosso artigo, como funciona a amortização do financiamento imobiliário e por que isso pode ser uma excelente opção para você!

O que amortização do financiamento?

Um financiamento imobiliário, especialmente de imóvel na planta, é composto de duas partes principais: o saldo devedor e os juros. Todo pagamento das parcelas é, tecnicamente, amortizar a dívida. No entanto, quando falamos em amortização do financiamento imobiliário, em geral, estamos nos referindo à possibilidade de adiantar o pagamento do saldo devedor.

Nesse caso, está se pagando apenas o valor do próprio imóvel, sem considerar juros. Essa possibilidade pode ser muito interessante para o consumidor, caso ele tenha à sua disposição meios de fazer esse pagamento adiantado, como o uso do saldo do FGTS, por exemplo.

Por que fazer a amortização do financiamento?

Os juros do pagamento parcelado são calculados sobre o saldo devedor. Quando se faz a amortização do financiamento imobiliário, está se pagando adiantado o saldo devedor, sem considerar os juros. Como eles são calculados por porcentagem, quanto menor o saldo devedor, menor o montante pago a título de juros.

Isso significa que a cada vez que se amortiza a dívida do saldo devedor, o valor pago em termos de juros baixa proporcionalmente. Logo, adiantar o pagamento do saldo devedor acaba diminuindo o valor das parcelas seguintes, pois a incidência dos juros de pagamento se faz sobre um valor menor.

O tipo de financiamento influencia na amortização?

O financiamento imobiliário pode ser feito de duas formas, pela tabela SAC ou pela tabela Price. No primeiro, que é o Sistema de Amortização Constante, as parcelas são variáveis, começando mais altas e diminuindo a medida que ocorre a amortização pelo pagamento do saldo devedor.

Na tabela Price, o valor das parcelas são fixos, começando com uma amortização mais baixa, enquanto os valores cobrados de juros são mais altos, mantendo o mesmo valor final. Embora seja uma forma mais fácil de se programar financeiramente, pela tabela Price, o valor total de juros costuma alcançar um patamar absoluto mais alto, aumentando o custo total do financiamento.

A amortização adiantada pode reduzir o valor total dentro dos dois sistemas, mas tende a ser mais vantajosa pela tabela SAC, visto que, sendo variável, acarretará em uma diminuição mais significativa.

Logo, a amortização do financiamento imobiliário, embora ocorra a cada parcela paga, pode ser adiantada, a fim de diminuir o valor final para a quitação do imóvel. Além disso, é importante saber outros direitos que você como consumidor tem na compra e venda do imóvel ou também na sua entrega, o que pode ser verificado por uma assessoria jurídica especializada.

Justamente por isso, confira também nosso outro artigo sobre seus direitos na possibilidade de indenização por atraso na entrega de imóvel.

Posts relacionados

Deixe um comentário

× WhatsApp