Conheça os índices financeiros que reajustam contrato de imóvel!

4 minutos para ler

Ao celebrar um contrato de imóvel com pagamento a prazo, certamente surgirá, em alguma cláusula, qual será o índice financeiro utilizado para a correção monetária. Esses índices indicam a situação de uma determinada categoria e a melhor forma de calcular o dinheiro para que ela continue valendo o mesmo que no período anterior.

Já conhece os índices financeiros mais comuns nos contratos imobiliários? Quer entender melhor como eles são compostos? Continue a leitura deste artigo e aprenda!

Índices financeiros para contrato de imóvel

IGP-M

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) é a versão mais famosa do Índice Geral de Preços (IGP) e uma das mais utilizadas para o reajuste de contrato de imóvel, especialmente os de locação. Por isso, ganhou o apelido de “inflação do aluguel”.

O IGP-M é um índice composto elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Seu cálculo inclui o Índice de Preço por Atacado (IPA), o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e o Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), na razão de 60%, 30% e 10%, respectivamente.

INCC

INCC também é calculado pela FGV e, geralmente, é a referência mais utilizada para o reajuste dos contratos de compra e venda de imóveis. O índice utiliza os custos da construção civil com mão de obra, materiais, equipamentos e serviços do setor, e costuma ser a opção utilizada para os imóveis comprados na planta, contudo, só deve ser aplicado enquanto o imóvel estiver sendo construído, ou seja, após a expedição do habite-se ou se houver atraso na entrega do imóvel ele não poder ser usado, devendo ser utilizado para tanto o IGP-M.

O índice calcula a variação de preços dos itens nas principais capitais. Já chegou a colher amostras em 20 capitais pelo Brasil, mas, atualmente, restringe o levantamento às cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília.

IPCA

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é medido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e também é utilizado nos contratos de compra e venda de imóveis.

O IPCA é calculado de acordo com o custo de vida de famílias que possuem renda entre 1 e 40 salários mínimos. Os itens utilizados no cálculo são os gastos mais comuns, como alimentação, habitação, saúde, comunicação, vestuário, transporte, educação etc.

Os dados são colhidos em 9 regiões metropolitanas do país: Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, bem como o Distrito Federal e os municípios de Goiânia e Campo Grande.

TR

A Taxa Referencial de Juros (TR), criada durante o governo Collor para ser a taxa básica de juros do país, é calculada pelo Banco Central. O índice é usado na correção da caderneta de poupança e no mercado imobiliário, compondo os cálculos dos contratos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Os índices financeiros podem influenciar significativamente o valor final de um contrato de imóvel. Cada um deles possui um recorte específico para sua formulação e, dependendo do desempenho de cada setor, os valores podem ser diferentes dos demais. Por isso, além de conhecer os índices e as tendências de mercado, é importante contar com uma consultoria especializada para aumentar as vantagens do negócio e prevenir problemas futuros.

Este artigo foi útil para você? Para continuar aprendendo sobre mercado imobiliário e áreas correlatas, assine nossa newsletter e receba novos conteúdos diretamente em seu e-mail!

 
Posts relacionados

2 thoughts on “Conheça os índices financeiros que reajustam contrato de imóvel!

Deixe um comentário

× WhatsApp