Consórcio imobiliário ou financiamento: entenda quais são as diferenças

7 minutos para ler

Com certeza, você já ouviu falar sobre consórcio imobiliário ou financiamento como alternativas para investir em imóveis. No primeiro caso, você precisa se associar a um grupo, pagar as parcelas definidas no contrato e aguardar a contemplação para receber a carta de crédito, que poderá ser usada para a aquisição da propriedade desejada.

Já no financiamento, você adquire o crédito com uma instituição financeira e assume parcelas que podem durar até 420 meses, ou 35 anos. Nesse caso, a liberação é feita diretamente para o vendedor do imóvel. Assim, ele é feito para a compra de imóveis específicos, pois o comprador recebe o bem imediatamente.

Mas você sabe quando optar por cada alternativa? Apesar de as duas opções serem interessantes, elas apresentam vantagens e desvantagens que devem ser observadas para definir se é melhor optar pelo consórcio imobiliário ou pelo financiamento. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

Vantagens do consórcio imobiliário

Para decidir entre consórcio imobiliário ou financiamento, é fundamental compreender os benefícios de cada um. Por isso, a seguir, explicamos as principais vantagens da primeira opção.

Sem incidência de juros

Esse é um dos principais atrativos dos contratos de consórcio: não há incidência de juros nas parcelas, o que costuma resultar em um custo efetivo total (CET) menor para o negócio. No entanto, vale lembrar que é comum a cobrança da taxa de administração, que pode chegar a 10% do valor do crédito contratado. As prestações são reajustadas pelo Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) ou outro índice previsto. 

Não há pagamento de entrada

Outro benefício do consórcio imobiliário é que ele não exige que o contratante faça um investimento inicial. Assim, quem tem dificuldades para juntar os valores necessários para dar entrada em um imóvel consegue facilitar a compra. Por outro lado, quem dispõe do capital necessário pode investir em outras aplicações, garantindo mais rendimentos. 

Liberdade na escolha do imóvel

A contemplação do consórcio libera uma carta de crédito no valor contratado para a aquisição do imóvel, ou seja, o contratante poderá utilizá-la para a compra de qualquer propriedade, desde que observe os limites previstos no contrato. O consorciado tem a opção de aguardar 180 dias após a quitação de todas as parcelas para receber o valor em dinheiro e investir de outra forma, caso prefira. 

Desvantagens do consórcio imobiliário

Apesar de tantas vantagens, o consórcio imobiliário também tem algumas desvantagens que devem ser analisadas com atenção. 

Tempo para receber o imóvel

Ao contratar um consórcio, é preciso pagar as parcelas em dia e aguardar ser sorteado para receber a carta de crédito. Então, não é possível ter certeza de quando você receberá o imóvel — isso pode acontecer apenas no final do contrato, por exemplo. Por outro lado, você pode tentar adiantar a contemplação oferecendo lances, mas isso exige um investimento maior que nem sempre é viável. 

Maior risco no negócio

Como o pagamento do consórcio é feito por todos os participantes, a possibilidade de inadimplência é um risco real. Também é fundamental ter atenção ao escolher a administradora, pois existem empresas que vendem o serviço sem a autorização do Banco Central com o objetivo de cometer fraudes. 

Além disso, como os valores de mercado variam, até a contemplação, o valor contratado pode não ser mais suficiente para adquirir o imóvel que você tinha planejado. Nesses casos, você precisará complementar o pagamento ou mudar os seus planos, buscando outras opções para comprar. 

Vantagens do financiamento imobiliário

O financiamento é uma das principais formas de adquirir imóveis, e isso acontece porque ele oferece diversos benefícios aos contratantes. Entenda os principais!

Recebimento imediato do imóvel

Após a aprovação do contrato de financiamento, o valor é liberado ao vendedor e o contratante já tem acesso ao imóvel comprado, exceto em casos de aquisição na planta. Desse modo, o comprador consegue planejar a mudança ou o anúncio para locação com mais segurança, com prazos definidos, dependendo do seu objetivo com o investimento. 

Por exemplo, se o objetivo é morar no imóvel, você deixará de pagar aluguel, substituindo-o pelas parcelas. Nos demais casos, os rendimentos obtidos com a locação podem ser usados para quitar, ao menos, parte das parcelas. 

Garantia do preço do imóvel

Ao fechar o contrato de financiamento, os custos não serão alterados, somente em caso de reajustes previstos no documento. Dessa forma, você não corre o risco de complementar o valor em caso de valorização imobiliária. Outro benefício é que, se os preços aumentarem, você garantirá bons lucros em caso de revenda. 

Segurança na compra

Como o contrato é firmado entre o comprador e a instituição financeira, você não precisa se preocupar com questões referentes à inadimplência de terceiros e outros detalhes comuns em um consórcio, por exemplo. 

No entanto, é fundamental ter um bom planejamento financeiro para não ter problemas ao quitar as parcelas, o que pode resultar na perda do imóvel. Além disso, é sempre importante analisar o contrato com atenção, preferencialmente com o suporte de um advogado, para garantir que ele está de acordo com a legislação vigente. 

Desvantagens do financiamento imobiliário

Para fazer uma decisão consciente entre consórcio imobiliário e financiamento, também é necessário entender quais são as desvantagens de financiar, veja só!

Altas taxas de juros

Infelizmente, os financiamentos são conhecidos pelos juros elevados, além dos reajustes anuais pela Taxa Referencial (TR). Como o contrato também incluí o pagamento de taxas bancárias e seguros habitacionais obrigatórios, isso pode fazer com que o CET seja bem elevado quando comparado ao consórcio. 

Burocracia na contratação

A aprovação do financiamento imobiliário exige uma análise detalhada de diversos documentos do comprador, do vendedor e do imóvel, então, é preciso levantar todos os itens solicitados e aguardar a resposta do banco. A instituição também faz uma avaliação de crédito do comprador, para verificar se ele não tem restrições em seu nome e conta com condições de arcar com as parcelas.

Finalmente, o imóvel deve ser vistoriado por um engenheiro autorizado, a fim de atestar que ele atende os requisitos previstos, tendo em vista que o próprio bem será a garantia do contrato

Exigência de entrada

Os financiamentos imobiliários exigem que o comprador pague uma entrada (o mínimo exigido é 10% do preço do imóvel). Porém, como as parcelas costumam ser limitadas a 30% da renda do comprador, pode ser necessário quitar valores maiores para que a prestação fique adequada aos rendimentos. Isso exige um planejamento financeiro maior e, dependendo das condições do contrato, pode dificultar a aquisição. 

Pronto! Agora que você já sabe as diferenças entre consórcio imobiliário ou financiamento, analise com atenção os prós e contras de cada um para definir qual é a opção mais adequada para auxiliar na aquisição do imóvel desejado.

Se você gostou deste post e quer saber mais sobre o mercado imobiliário, aproveite para entender quais são os cuidados necessários para comprar um imóvel na planta por crédito associativo!

Posts relacionados

Deixe um comentário

× WhatsApp