Mercado imobiliário: confira os 4 golpes mais comuns!

4 minutos para ler

Na hora de comprar ou alugar um imóvel, é preciso muita cautela para um risco real: os golpistas que se aproveitam do mercado imobiliário para tirar vantagens indevidas e ilegais dos compradores. Não é incomum ouvir histórias de pessoas que amargaram prejuízos na ação de pessoas desonestas. Para esclarecer as dúvidas sobre alguns dos golpes mais comuns, fizemos esse post. 

Não se pode fechar qualquer negócio sem ter todas as garantias de que a transação é honesta e dentro da legalidade. Porém, sabemos o quanto pode ser complicado: nem todos dominam a legislação imobiliária e, muitas vezes, a ansiedade pela casa nova e outros diversos assuntos necessários na mudança acabam tirando a atenção.

Mas, para começar a entender melhor como agem os golpistas, você deve ler este texto até o final. Acompanhe!

1. Matricula de Imóvel falsa

Você sabe que a matricula é o documento que atesta a propriedade do imóvel, correto? E que é emitido pelo cartório de registro ? Mesmo assim, muitos golpistas conseguem fraudar esse documento e utilizá-lo em uma negociação que, obviamente, não terá validade legal. 

Em caso de dúvida, o comprador não deve hesitar em ir até o cartório de registro de imóveis identificado na matricula e conferir se ela é verdadeira. 

2. Corretor golpista

Uma cena comum: em um prédio com anúncios de imóveis para aluguel e venda, você encontra uma pessoa, que se diz representante da imobiliária, e que passa a negociar um dos imóveis com você. Parecido pode ocorrer na internet. É preciso cuidado para não cair na ação de um golpista.

Só trabalhe com corretores ligados à imobiliária — e cheque se isso é verdade com o próprio estabelecimento. Para atuar no mercado, o profissional precisa ter registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), outra maneira de identificar o corretor de boa fé. 

3. Localização errada

Na negociação, você é informado do endereço do imóvel, logicamente. Mas daí, na hora de receber a escritura, a surpresa desagradável: você comprou ou alugou um imóvel em outro endereço. Pense nos transtornos de uma situação dessas.

Eis mais um motivo para conferir toda a transação no cartório, desde o início. Não espere o fim da negociação para procurar o registro oficial e conferir todos os dados, minuciosamente. Acreditando na palavra do negociador, você pode não notar algum detalhe, como um número errado. Mas não se esqueça: isso é golpe.

4. Aluguel falso

Muito comum em períodos de férias em regiões turísticas ou litorâneas, esse é mais um golpe que causa transtornos absurdos às vítimas. O interessado, que vive em outra cidade, procura um imóvel para locar por um período, com ajuda da internet ou até mesmo de uma imobiliária. 

Tudo acertado, pago e encaminhado, ao chegar para pegar as chaves, a vítima não encontra o locatário. E o dinheiro, ou parte dele, já foi pago. Os golpistas se aproveitam da distância para cometer esse golpe. É preciso ter cuidado! Só negocie com imobiliárias ou, no máximo, pessoas conhecidas. Celebrar o contrato por escrito, com antecedência, e só pagar após ter garantias do negócio. 

Nessas ou em outras situações de perigo pelo qual o cliente pode passar, é fundamental contar com um advogado especializado em direito imobiliário. Seja para encaminhar possíveis pedidos de ressarcimento ou para denunciar o falsário, a ajuda profissional nessas horas é indispensável para o seu sucesso no mercado imobiliário.

E se você se interessa por mercado imobiliário e assuntos relacionados, que tal assinar nossa newsletter e não perder nenhum conteúdo que produzimos sobre isso por aqui?

 

Posts relacionados

Deixe um comentário

× WhatsApp